O tema do artigo de hoje é afastamento no trabalho.

O trabalho é a principal fonte de renda de quase todo mundo. É dele que tiramos o nosso sustento. Justamente por isso, quando nos afastamos por qualquer motivo todos são afetados de alguma forma. O trabalhador, que têm a sua renda reduzida e; empregador, que perde em produtividade.

Alguns números do INSS comprovam isso. Um estudo, feito entre os anos de 2012 e 2018, assinala que mais de 520 mil brasileiros receberam auxílio doença. Esse número representa um total de 40 mil dias de trabalho perdidos. 

Quando o colaborador se ausenta por mais de 15 dias, passa a receber o benefício do INSS, que segue um cálculo que lhe fornece apenas o mínimo para sobreviver. Ou seja, o salário fica abaixo do que o habitual. Nesses seis anos, segundo essa pesquisa, os gastos do Instituto com os benefícios foram de R$ 26 bilhões. 

Os números só comprovam que quando o trabalhador está impossibilitado de realizar suas atividades todos perdem. O trabalhador com o rendimento reduzido, o INSS com os gastos e as empresas com a falta da mão de obra.

Mas como estamos falando de seres humanos, todos somos estamos sujeitos a passar por uma situação como essa. Entretanto, há algumas mais comuns

Quer saber quais são? Então continue lendo o nosso artigo.

Motivos de afastamento no trabalho

Pelos dados do INSS, a dor nas costas lidera o ranking de doenças que provocam a ausência de trabalhadores nas organizações. Esse cenário vem se repetindo nos últimos 10 anos. Já é a terceira causa de aposentadoria por invalidez. Em segundo lugar, está a fratura na perna, assim como tornozelo. Na sequência, a fratura do punho e da mão.

Outro dado, da OMS, mostra que 40% das dores lombares evoluem para problemas mais graves, gerando redução da produtividade até a incapacidade.

Transtornos mentais

Mas os trabalhadores não faltam por longos períodos só por doenças físicas, mas também por transtornos mentais, como ansiedade e depressão. Segundo a OMS, mais de 18 milhões de brasileiros vivem com ansiedade, 9,3% da população, colocando o país como líder no ranking da doença.

O mesmo acontece com a depressão, que afeta 5,8% (12 milhões de pessoas), levando o Brasil a ter a maior taxa latino-americana. Essas doenças afetam tanto homens como mulheres, também provocando afastamento das atividades.

Ambiente saudável evita afastamento do trabalho

É dever das empresas promover um ambiente saudável e adaptado para evitar lesões, além de fornecer aos funcionários um espaço em conformidade com as regras de segurança, independente do ramo de atividade. Em escritórios, observar as estruturas, como mesas e cadeiras, assim como equipamentos, como computadores.

Em trabalhos mais pesados ou de risco, em obras e para trabalhadores com funções em companhias de água e esgoto, por exemplo, oferecer equipamentos de segurança para prevenir acidentes ou contaminação. 

Parceria com RH

Mas quando o dano é na mente, a postura e a cultura organizacional influenciam muito na prevenção desses transtornos ocupacionais. Mas se eles já estiverem instalados, por conta da pressão que o trabalho impõe o apoio às equipes faz toda a diferença para evitar o agravamento da situação e que culmine no afastamento do funcionário.

Para isso é preciso contar com a ajuda dos Recursos Humanos, para dar suporte psicológico e, em alguns casos, até com parceria com os planos de saúde. 

Texto: Luciana Cavalcante

Este conteúdo sobre a importância de manter um bom ambiente de trabalho foi útil para você? Então, siga-nos nas redes sociais e não perca nenhuma atualização. Estamos no Facebook e no LinkedIn!

fale conoscoPowered by Rock Convert