conexa covid-19 conexa covid-19

Conexa Saúde e a telemedicina no enfrentamento da Covid-19

4 minutos para ler

O ano de 2020 não será esquecido. O mundo assiste a assustadora evolução de uma pandemia que, segundo a OMS, já contaminou mais de um milhão de pessoas. Pouco se sabe do vírus, obrigando cientistas e governantes a aprender a lidar com ele enquanto está acontecendo.

Não há vacina, remédio, apenas estudos de substâncias para tratamento, mesmo assim só para casos graves. Até então, a única coisa que se sabe é que o isolamento social pode ajudar a conter o avanço da doença, assim como o reforço de hábitos de higiene.

Nesse contexto, a tecnologia e a ciência nunca foram tão importantes na corrida para preservar a vida, de perto ou de longe. 

Por isso, a telemedicina é uma grande aliada no enfrentamento do novo coronavírus e a Conexa Saúde é uma das plataformas pioneiras, que investe nesse serviço.

Tendo em vista tal importância da telemedicina no enfrentamento do novo coronavírus, neste artigo vamos abordar como ela pode ajudar durante o isolamento social.

A importância da telemedicina no isolamento

Ninguém estava preparado para essa mudança de vida. Contatos, conversas e até o trabalho, agora só via internet. A tecnologia ajudou muito quem pode ficar em casa. E também é uma das aliadas da saúde. 

Isolados e com dúvidas novas a cada dia é preciso apoio profissional, principalmente para não sobrecarregar o sistema de saúde em um momento tão delicado.

Foi pensando nisso que o Ministério da Saúde editou portaria que regulamenta a prática, de forma excepcional e temporária, como enfrentamento da covid-19.

O serviço oferece orientação médica para evitar idas desnecessárias aos hospitais, bem como acompanhamento de pacientes habituais ou até de quarentena.

Atendimento de startup reduz até 90% idas ao hospital

A prova de que a telemedicina já é uma realidade no Brasil é o número de teleatendimentos da Conexa Saúde, cinco vezes maior no mês de março. Um salto de 100 para 3.500 diários. Isso reduz em 90% a ida ao pronto-socorro. 

“A telemedicina já faz parte do nosso cotidiano mesmo que as pessoas não saibam. Para aqueles pacientes que fazem contato médico via plataformas de mensagens, que ligam para o médico para tirar dúvidas. Na verdade essas pessoas já estavam fazendo uso de telemedicina”, explicou a diretora médica e infectologista, Layla Almeida, em entrevista à Globonews.

Segurança do serviço

Ainda segundo Layla Almeida, essa prática já era autorizada pelo Conselho Regional de Medicina, para diagnóstico e prescrição em momentos de emergência ou em uma impossibilidade geográfica, no caso de pacientes que moram mais longe.

Ela ressalta a segurança do serviço feito por videoconferência nesse momento da pandemia. “A gente consegue, de maneira mais fidedigna, triar sinais e sintomas pela anamnese médica, que é a entrevista que a gente faz com o paciente, quais são os possíveis estigmas de doença que ele tem”, assegura a infectologista.

Apoio psicológico

Com dois anos de existência a startup-que atende através de um aplicativo- dispõe de 27 especialidades, incluindo a telepsicologia, outro serviço que também disparou na plataforma. De 100 mil, para um milhão em uma semana.

Um cenário de certa forma esperado com a avalanche de acontecimentos desencadeada com a pandemia e que mostra a eficácia do serviço à distância, autorizado desde 2018.  

Nesse momento, o teleatendimento psicológico é essencial para dar apoio a pessoas que podem apresentar sintomas de ansiedade ou depressão, por conta do isolamento social.

Tecnologia a favor da vida

Apesar da telemedicina já estar sendo aplicada no Brasil há mais de 10 anos, ela ainda não era tão conhecida do grande público. Em função da Covid-19, a imprensa teve o importante papel de divulgar mais essa ferramenta para ajudar nesse momento de crise.

Ela despertou interesse de grandes veículos de comunicação como Globonews,  R7, UOL, Estado de São Paulo,  Jovem Pan, entre outros e; sites especializados como Saúde Business, mostrando que a tecnologia é sempre uma grande aliada da vida.

Texto: Luciana Cavalcante

Se você gostou deste post e quer ter acesso a mais conteúdo relacionado à telemedicina, assine nossa newsletter! Você vai começar a receber novidades diretamente em seu e-mail.

Posts relacionados

Deixe um comentário