Os colaboradores que estão em sua empresa são, constantemente, expostos a uma série de questões que podem colocar em xeque a sua saúde. É o caso, por exemplo, das doenças do trabalho e doenças profissionais, bem como das de trabalho.

Saber o que elas são é fundamental para identificar o que conduz a esse tipo de situação e para conseguir reduzir o índice de afastamento de doenças originadas no ambiente laboral. Vamos falar sobre esse tema e tirar suas dúvidas. Boa leitura!

O que é doença ocupacional ou profissional?

A doença ocupacional, ou profissional, é aquela na qual o colaborador adquire uma condição enferma gerada pelas características do seu trabalho no dia a dia. Muitas vezes, trata-se de condições crônicas, ou seja, doenças que ele terá pelo resto da vida.

É o caso, por exemplo, daqueles que trabalham como caixas em instituições bancárias e adquirem DORT (Distúrbio Osteomuscular Relacionado ao Trabalho) devido à movimentação do dia a dia ao contar dinheiro e registrar as informações nas máquinas.

Esse tipo de problema pode ocorrer pela exposição contínua a agentes de risco (físicos, químicos, biológicos e radioativos) e agravar quadros já existentes anteriormente. São, normalmente, quadros que se manifestam inicialmente de forma lenta e vão se agravando com o tempo.

Para provar a condição, basta que o colaborador, com o laudo, comprove o vínculo com a empresa em que trabalha. Normalmente, são problemas crônicos, incapacitantes e que, em alguns casos, podem levar, até mesmo, ao óbito.

O que é doença de trabalho?

A doença de trabalho é aquela que resulta das condições ambientais do local em que o colaborador realiza suas atividades. O problema surge de acordo com um fator específico, que está associado à função exercida, mas não é uma regra.

Dessa forma, o funcionário precisa provar que ocorreu um agravante gerado pela sua função na empresa para que seja caracterizado como uma doença de trabalho, provando a origem do problema.

Por exemplo, uma diminuição da audição gerada por EPIs de má qualidade, que não abafam os ruídos da forma adequada, é uma das possibilidades de doenças de trabalho. Ou seja, se o empreendedor tivesse oferecido o equipamento correto e um ambiente seguro, o problema não teria ocorrido durante as atividades internas.

Quais as diferenças entre os dois?

Enquanto as doenças ocupacionais são reconhecidas pela Previdência Social como decorrentes das atividades laborais, as doenças do trabalho não passam pelo mesmo processo, já que não têm um agente causador comum.

Normalmente, as doenças ocupacionais tendem a ser incapacitantes em longo prazo, podendo gerar o direito à aposentadoria por invalidez e, em alguns casos, aposentadoria especial. Já as doenças do trabalho podem ser tratadas e curadas em longo prazo, podendo gerar apenas um afastamento temporário em curto prazo.

Apesar das diferenças, ambas as doenças ganham direito ao benefício do Seguro Contra Acidentes de Trabalho. O trabalhador, nesse caso, tem acesso aos direitos previdenciários. Ambas também interferem consideravelmente na produtividade do profissional.

É fundamental compreender o que é doença de trabalho e doença profissional, bem como saber diferenciá-las, principalmente a fim de compreender as diferenças legais entre elas. Outro ponto, que ressalta a importância do conhecimento sobre o tema, diz respeito à necessidade de gerar intervenções necessárias para evitar que os problemas apareçam e para garantir a saúde e a qualidade de vida para os funcionários.

Ambos os problemas podem gerar afastamento de trabalho para que seja feito o melhor tratamento. Você sabe como funciona esse processo dentro das organizações? Leia nosso artigo e tire suas dúvidas sobre o tema.

fale conoscoPowered by Rock Convert