Subscribe Now

Trending News

Estratégia de empoderamento dos pacientes
Bem Estar

Estratégia de empoderamento dos pacientes

Com a mudança do perfil das doenças atuais e o envelhecimento da sociedade, cada vez mais as doenças crônicas e múltiplas comorbidades são comuns, necessitando de cuidados redobrados, acompanhamento regular, vínculo com o profissional da saúde e auxílio no autocuidado.

Sendo assim, o empoderamento na saúde é quando a população passa a adquirir o domínio sobre suas vidas e é capaz de tomar decisões,  promover o automonitoramento e cuidados com a saúde, a partir do desenvolvimento de novas habilidades e conhecimento. Dessa maneira, aumenta a autonomia pessoal, informação e proporciona novos significados e percepções sobre saúde. 

Continue a leitura e saiba mais sobre o desenvolvimento do empoderamento e seja o protagonista da própria saúde. 

Função da tecnologia

A tecnologia é capaz de potencializar ou desenvolver habilidades a fim de transformar o indivíduo como um todo na busca por melhorias na qualidade de vida. 

Essas ferramentas são divididas na saúde em tecnologia dura, representada pelos equipamentos mais específicos; tecnologia leve-dura, que são os saberes estruturados na teoria científica; e a tecnologia leve, que consiste na formação do vínculo e relação para a implementação do cuidado. 

A distância e o deslocamento para o serviço de saúde é um obstáculo para os pacientes com doenças crônicas e comorbidades associadas, que precisam de acompanhamento regular, sendo fator limitador para a adesão terapêutica e possibilita o surgimento de outras complicações. 

Dessa forma, a tecnologia passa a ser uma ferramenta importante no cuidado à saúde, pois possibilita o automonitoramento, proporciona novas informações e desenvolve competências para o controle das comorbidades. 

Desenvolvendo o pensamento crítico

O empoderamento ocorre a partir da aprendizagem dialógica, logo são ensinamentos horizontalizados, permitindo que o paciente seja o autor principal no cenário da sua saúde. Diante disso, o indivíduo passa a ser portador da informação e desenvolve posicionamento crítico capaz de ressignificar o próprio modo de viver. 

Além disso, as pessoas informadas sobre a situação da sua saúde e responsabilizadas (empoderadas), se relaciona de forma mais eficaz com o profissional da saúde, com o único e principal objetivo de aprender novas ações para melhorar a qualidade de vida.

Relação médico-paciente

A criação do vínculo entre médico e paciente, geralmente garante maior adesão ao tratamento e cuidado com a saúde. Deve ser uma relação baseada em confiança e regada de respeito, estabelecendo as responsabilidades de cada pessoa durante o plano terapêutico e consequentemente melhora os resultados na saúde. 

Com a população sendo protagonistas e corresponsáveis durante o acompanhamento, torna-se possível executar os mandamentos do SUS: universalidade, integralidade do cuidado e equidade.

O paciente deve ser consciente sobre como gerenciar sua vida apesar das enfermidades que possui, sendo o único capaz de construir uma melhoria na qualidade da própria vida

Promoção e autocuidado com a saúde

A tecnologia é capaz de promover à saúde de forma remota e otimiza o tempo sem deslocamentos e filas nos postos de serviço de saúde. 

Além disso, muitas das doenças crônicas como, por exemplo, Diabetes mellitus e hipertensão arterial precisam de cuidados para além do ambiente ambulatorial, devendo ser monitorado continuamente no domicílio. 

Os pacientes mais informados e envolvidos no processo de saúde, são mais atuantes no cuidado e cumprem melhor a conduta feita em conjunto médico-paciente. 

Os profissionais precisam construir uma integração entre si, com a finalidade de garantir o cuidado com abordagem não somente na doença, mas sim na pessoa, sabendo escutar todas as dificuldades enfrentadas no cotidiano com o convívio com a doença. 

Portanto, sabe-se que baseando-se na relação dialógica, a prática do autocuidado possui infinitas vantagens tanto para os pacientes quanto para os profissionais. Sendo importante para troca de informações e experiências de cada caso, oferecendo uma assistência integral à saúde e valorizando a prática do autocuidado como peça fundamental para o desenvolvimento do bem estar

Telessaúde no processo de empoderamento na saúde

A telemedicina atua proporcionando maior informação e comunicação, além de  ampliar a atenção e o cuidado com a saúde. Garante melhor acesso, equidade e integralidade, podendo auxiliar no monitoramento contínuo dos sinais vitais e outros parâmetros de saúde. 

Assim, é um instrumento que pode ser utilizado para tirar dúvidas durante o cuidado e tratamento, ter maior controle na alimentação a partir de um acompanhamento do profissional, e até receber orientações no momento de descompensação dos sinais e sintomas da doença de base, diminuindo o intervalo de tempo entre as manifestações e a intervenção precoce. 

Para manter-se informado, nada melhor do que acessar um conteúdo de qualidade, não é mesmo? Por isso, assine a nossa newsletter!

fale conoscoPowered by Rock Convert

Posts relacionados

Deixe uma resposta

Campos obrigatórios *