Entender o que é presenteísmo é um passo importante para diagnosticar suas causas, propor medidas efetivas e acompanhar a melhora do cenário observado em um primeiro momento.

Isso porque o presenteísmo é pouco percebido devido à valoração excessiva da produtividade in loco e ao menosprezo pela satisfação do colaborador perante as atividades exercidas continuamente.

Quer entender mais sobre o presenteísmo? Então, não perca as explicações que daremos a seguir!

Afinal, por que é importante identificar o presenteísmo?

Trata-se de uma situação em que o trabalhador está presente no seu horário de expediente, mas sua capacidade intelectual ou operacional está significativamente comprometida ao longo do tempo.

Isso significa que ele está ali e, em geral, cumpre corretamente os horários de entrada e saída e interage com seus colegas, mas demonstra insatisfação, falta de motivação, dentre outros sentimentos de frustração que podem ser perceptíveis facilmente.

As causas para esse problema são diversas e incluem a falta de valorização profissional dos supervisores, problemas pessoais complexos e crônicos, pouca perspectiva de crescimento na empresa, diagnóstico recente de doenças psiquiátricas (como ansiedade e depressão), entre outras.

Quais são os aspectos negativos desse problema?

O presenteísmo afeta principalmente a produtividade no trabalho, o que pode gerar relações laborais conflituosas, desligamento voluntário do indivíduo, deslocamento de funcionários para cobrir outras atividades e, consequentemente, desequilíbrio da rotina.

Esse cenário é progressivo e pode impactar a sustentabilidade financeira da empresa, além de haver uma divulgação espontânea do comportamento organizacional negativo, piorando a imagem da organização fora dos seus limites.

Por isso, é essencial que o gestor identifique pequenos sinais na produtividade e na motivação dos funcionários para evitar que a situação tome proporções que se tornem difíceis de contornar em curto prazo.

Como evitar o presenteísmo?

Alguns gestores estão preocupados demasiadamente com relatórios e esquecem-se do real valor da força de trabalho que move a empresa. Muitos se destinam a punir severamente os trabalhadores e acabam por piorar a situação.

Sendo assim, um dos pontos relevantes para evitar o presenteísmo é fazer um diagnóstico da satisfação do colaborador de cada setor e dos motivos relacionados à falta de motivação para a realização das atividades laborais, dando um feedback a todos.

Após um levantamento completo das demandas dos funcionários sobre as melhorias nesse aspecto, os gestores devem se programar para verificar a viabilidade e o custo dos pontos mais frequentes.

Nesse sentido, é importante manter um canal para comunicação, sugestão e críticas dos funcionários, com o oferecimento de um plano de carreira mais atraente, além de benefícios indiretos, como descontos em academias, cursos de inglês, flexibilidade de horário etc.

Também é importante mensurar as atividades implantadas de modo a intensificar as mais aceitas, investir em inteligência emocional ou modificar aquelas que foram pouco eficientes a fim de entregar o melhor pacote para os funcionários.

O presenteísmo ocorre quando o funcionário, mesmo estando presente em seu horário de trabalho, não tem motivação ou estímulo mental para realizar as rotinas conforme o planejado. O resultado desse problema é a disseminação desse sentimento, a redução da produtividade e a piora do cenário financeiro. Para tanto, cabe, ao gestor, a implantação de estratégias eficientes para modificar essa situação.

E você, gostou do nosso texto? Então, siga a gente no Linkedin e fique por dentro das nossas próximas publicações!

fale conoscoPowered by Rock Convert