Quando o relógio marcar 18h nesta sexta-feira muita gente vai agradecer, afinal além de feriado prolongado é Carnaval. Alguns já estão até em contagem regressiva para aproveitar a folga.

Uns ficam em casa, outros viajam, mas boa parte gosta mesmo é de pular a folia nos blocos de rua ou nas festas. 

Mas como toda diversão deve ser curtida com responsabilidade é preciso ter cuidado para aquele “Amor de Carnaval”, não se transformar em um problema.

Antes de sair sambando por aí sem cuidado, o blog Conexa Saúde elaborou um artigo alertando sobre as principais Infecções Sexualmente Transmissíveis (IST) e como evitá-las para garantir uma festa saudável!

Continue lendo e saiba mais sobre as ISTs e como se prevenir delas no Carnaval..

O que são

As ISTs são infecções por vírus, bactérias ou outros microrganismos. O contágio é feito principalmente através de contato sexual com uma pessoa infectada, seja ele oral, vaginal ou anal, sem o uso de nenhuma proteção. 

A transmissão também pode ser de mãe para filho na gestação, parto ou amamentação. Nos dois casos, se não tratadas adequadamente, podem provocar complicações e levar à morte.

Principais ISTs

Existem vários tipos de Infecções Sexualmente Transmissíveis, mas algumas são mais comuns:

• Infecção pelo HIV;

• Sífilis;

• Herpes genital;

• Gonorreia e infecção por clamídia;

• Infecção pelo Papilomavírus Humano (HPV);

• Hepatites virais B e C;

• Cancro mole;

• Infecção pelo HTLV.

Sintomas

Não é difícil identificar as doenças, sendo que possuem sintomas bem característicos. São eles:

• Feridas;

• Corrimentos;

• Verrugas anogenitais. 

Onde aparecem

Os sinais aparecem principalmente no órgão genital, mas também podem surgir na palma das mãos e olhos ou outros lugares do corpo.

Alguns casos podem ser assintomáticos e se não forem diagnosticados e tratados, podem levar a graves complicações como infertilidade e câncer.

É preciso estar atento ao corpo durante a higiene pessoal, pois isso pode ajudar a identificar esse tipo de infecção.

Prevenção

O método mais eficaz para evitar a transmissão delas, do HIV/Aids e das hepatites virais B e C é a camisinha (masculina ou feminina), que também evita a gravidez. Por isso deve ser usada em todas as relações sexuais (orais, anais e vaginais).

Tanto a opção masculina, como a feminina, podem ser retiradas gratuitamente nas unidades de saúde. Inclusive, durante o Carnaval o Ministério da Saúde faz campanhas de prevenção distribuindo próximo aos locais onde há grande concentração de blocos.

Suporte

Todo atendimento e tratamento para as ISTs são gratuitos no SUS. Isso inclui desde a prevenção, diagnóstico e tratamento das doenças, testagem para HIV, sífilis e hepatites virais B e C.

A rede também dispõe de profilaxia pós-exposição ao HIV, imunização para HPV e hepatite B, prevenção da transmissão vertical de HIV, sífilis e hepatite B, tratamento antirretroviral para todas as PVHIV e redução de danos. 

Alerta

Se mesmo assim acontecer uma relação desprotegida, não só no Carnaval, é necessário procurar o quanto antes uma unidade de saúde para atendimento de profilaxia pós-exposição ao HIV e outros procedimentos que devem ser avaliados pelo médico.

No caso da profilaxia, consiste em um tratamento com objetivo de impedir a contaminação pela doença logo após a exposição sem proteção.

Pela vida

Mas é bom lembrar que o carnaval passa e a vida é só uma. Vamos curtir sim, mas com saúde porque ainda temos muitos carnavais pela frente!

Um ótimo Carnaval a todos!

Texto: Luciana Cavalcante

Gostou do nosso post? Quer receber outras dicas em primeira mão? Então, não se esqueça de se inscrever em nossa newsletter e fique por dentro dos próximos artigos! 

fale conoscoPowered by Rock Convert