Cinco dias por semana, oito horas por dia. Você vai passar a maioria do seu tempo de vida trabalhando. Portanto, faça questão de estar em um ambiente que preze pela sua saúde mental e física.

Infelizmente, um trabalho causador de doenças é mais comum do que deveria. As mais conhecidas são aquelas que afetam movimentos facilmente observados pelo olho humano, como as LER e DORTs

Porém, o que acontece dentro do organismo e não se vê é tão alarmante quanto e deve ser cuidado, como é o caso da gastrite.

Para entender o que é a doença e como ela pode estar diretamente relacionada ao estresse do trabalho, continue lendo o artigo.

O que é a gastrite?

De acordo com o Ministério da Saúde, a gastrite é resultado de uma inflamação no estômago, que por sua vez, por ser causada por bactérias, medicamentos ou bebidas alcoólicas, por exemplo.

É muito comum sentir um mal estar pontual e já associá-lo à gastrite. Mas a regra é clara: se não há inflamação, não há gastrite.

Há várias possíveis causas para a doença, entre elas, questões mentais como a ansiedade, depressão e síndrome de burnout. Como tais condições infelizmente estão em ascensão no século XXI, as mesmas também têm se destacado como um motivo recorrente para a gastrite.

Como o trabalho pode causar ou piorar a gastrite

Até para aqueles que amam o que fazem, o trabalho não deixa de ser fonte de estresse e preocupações. Imagine para os colaboradores que sofrem com questões psicológicas.

Entretanto, existe um limite entre aflições do dia a dia, já esperadas e experienciadas por todos, e um sentimento paralisante e tóxico para a saúde mental e física. E só quem pode definir esta linha tênue é você. Se analise sempre, principalmente com acompanhamento de um profissional. 

Quando o ambiente de trabalho causa reações da parte perigosa deste limite, a rotina pode se tornar um motivo para a causa ou a piora do quadro mental do colaborador. Com isso, ele automaticamente estará sujeito a sofrer de gastrite, como foi explicado anteriormente.

A partir do momento que o colaborador passa a sofrer de gastrite, o ciclo da doença com o estresse excessivo causado pelo trabalho torna-se vicioso. Porque, além do ambiente opressor impulsionar as dores, o fato do funcionário precisar fazer pausas ou até se distanciar do trabalho pode se tornar uma dor de cabeça adicional:

O trabalho causa a gastrite -> o colaborador sofre com dores durante o expediente -> torna-se menos produtivo -> o estresse aumenta -> a gastrite piora.

Desenvolvi gastrite, e agora?

O primeiro passo é óbvio. Siga o tratamento do médico que te diagnosticou com gastrite. Você provavelmente terá que fazer alterações em hábitos alimentares e se medicar. Além do acompanhamento profissional qualificado, esta questão também deve ser abordada no trabalho. 

Uma boa ideia é informar os Recursos Humanos e o seu superior sobre a doença. Dessa forma, não será uma surpresa se você precisar fazer pausas no expediente ou se ausentar por causa de crises.

Caso você se sinta confortável e acredite que tenha espaço para dar feedback, compartilhe também os motivos que causaram a gastrite. Há casos em que a empresa está com um ambiente de trabalho tóxico mas tem a intenção de melhorar.

Se este não for o perfil de onde você trabalha, este é o momento de começar a procurar uma mudança de emprego ou até de área, dependendo das suas frustrações. Sua saúde e bem estar devem sempre ser prioridades.

Gostou do artigo? Curta a página do Conexa Saúde no Facebook!

Texto: Manoela Caldas.

fale conoscoPowered by Rock Convert