A prática médica na telemedicina e o impacto no âmbito empresarial e pessoal tem sido muito discutida.

A expectativa do seu uso é facilitar o acesso a mais médicos em cidades do interior do Brasil e melhorar orientação sobre quem realmente deveria procurar o sistema convencional presencial, evitando assim a lotação do serviço.

Entenda melhor como a telemedicina afetará as relações entre empresas e pessoas e como isso mudará o cenário da saúde atualmente!

Então, continue com a gente e saiba mais!

Telemedicina e a relação entre empresas

A questão primordial que as empresas precisam estar atentas é sobre a presença de equipe clínica de alta especialidade, preparada para prestar consultas a outros médicos e aos próprios pacientes à distância.

Tal questão reduz a variação do tempo entre diagnóstico e tratamento, essencial para o desfecho na Medicina.

Há registros históricos da utilização de recursos tecnológicos, como fax, telefone e correio eletrônico para auxiliar na melhor conduta de doenças em que o médico assistente não tenha experiência. 

Atualmente, é fundamental ter uma preocupação com os profissionais de tecnologia altamente capacitados. Dessa forma, mantém-se a infraestrutura por trás de todo atendimento e garantir a segurança e o sigilo de dados fornecido pelo paciente via tecnologia de comunicação e compartilhamento dessas informações entre médicos por meio da Web.

Estes meios de comunicação, certamente vão facilitar a interação entre médicos de diversas regiões com o único e primordial objetivo: melhorar a qualidade da saúde dos pacientes.

Isso sem contar com redução de tempo e despesas para os deslocamentos dos profissionais entre os locais de atendimento, melhor gerenciamento dos recursos em saúde e descentralização da assistência à saúde.

Zelo ao Paciente

Com as novas normas do CFM, é necessário que a primeira consulta seja presencial, exceto em áreas remotas onde não há acesso, para criar maior vínculo e confiança entre o profissional e o paciente. 

Ademais, a telemedicina é uma ferramenta que irá intensificar a relação médico-paciente, visto que terão maiores oportunidades para comunicação e acesso mais fácil para ambas as partes.

Essa relação deve ser baseada no respeito mútuo, em relação a opinião médica e autonomia do paciente.  Vale lembrar que durante a criação da relação médico-paciente é obrigatório que o profissional informe ao paciente sobre os potenciais riscos das consultas à distância, respeitando seu direito de decisão.

Sob a ótica da televigilância, instrumento aliado dos médicos, principalmente no monitoramento de pacientes com doenças crônicas, os quais exige a transmissão de informações como sinais vitais e opiniões de especialistas em Eletrocardiograma, para assim minimizar as falhas diagnósticas e rapidez na intervenção. 

Portanto, os avanços dessas tecnologias são um marco histórico na saúde, otimizando a saúde integral com possibilidade do profissional da saúde constantemente ao lado dos seus pacientes.

Agora que você já entendeu sobre como a telemedicina afetará as relações entre empresas e pessoas, não deixe de ler também nosso post sobre as Normas da telemedicina no Brasil e como ele funciona!

Texto: Lyz Tavares

Powered by Rock Convert