Fala-se muito sobre fatores que podem provocar a demissão, o que te faz se destacar profissionalmente e como atingir o perfil de um funcionário ideal

Mas e o contrário? O outro lado da moeda ainda é pouco explorado e o blog da Conexa Saúde veio para mudar isso.

Quando só se fala sobre os comportamentos dos colaboradores, a sensação gerada é a de que os funcionários estão sempre na palma da mão das empresas. Esta condição torna-se ainda mais válida quando o país está com taxas tão altas de desemprego.

Porém, este pensamento pode ser muito perigoso. Ele faz com que os colaboradores pensem que eles não podem ter críticas sobre as políticas da empresa e a forma com que são tratados.

Estamos aqui para te empoderar. Sim, você pode mudar de emprego por querer algo melhor. Não é normal se sentir diminuído e voltar chorando do trabalho. 

Para as empresas, chegou o momento de dar luz nos comportamentos que afastam colaboradores incríveis da equipe. Confira alguns deles e os mude desde já:

Brigas ≠ feedback

O funcionário passa 90% do tempo acertando (afinal, se fosse diferente, ele não estaria naquele cargo), mas só ouve a voz do seu superior nos 10% de erros.

Por muito tempo esta política foi normal e nem se ousava em sugerir algo diferente. Hoje, felizmente, os Recursos Humanos mais antenados já aderiram o posicionamento da cultura do feedback.

Qual é a diferença? Enquanto as brigas só pontuam só os erros, o feedback é constante. Ao ressaltar estes 90% de acertos, na hora de sugerir melhoras para os 10%, o colaborador se sentirá incentivado ao invés de humilhado. 

A sensação é a de ser reconhecido por todo o esforço e bons resultados te faz querer vestir a camisa da empresa. Um colaborador que não se sente valorizado onde está certamente pensa em mudar de emprego.

Plano de carreira

Qual perspectiva de futuro a sua empresa oferece aos colaboradores? Para gerações mais antigas, ficar décadas no mesmo cargo era algo comum, mal se pensava além disso. A geração millennial mudou completamente esta tradição. 

Com o ritmo acelerado de hoje em dia e o fácil acesso a informações e novas possibilidades, hoje os colaboradores necessitam de mais motivos para permanecerem no mesmo lugar por muitos anos.

O relógio dos mais jovens funciona em outro passo. Se antes passar 50 anos no mesmo cargo era comum, agora, 10 anos já parece uma eternidade. Mais que nunca, é preciso investir na reinvenção, na reciclagem e em mostrar para o colaborador o que o espera daqui para frente.

O futuro de um colaborador não precisa ser algo óbvio, como aumento de cargo e de salário. Uma atitude que tem tido cada vez mais aderência é o rodízio de áreas, por exemplo. 

Fazer com que os funcionários passem por diferentes funções dentro da empresa os tira da zona de conforto, traz novos desafios e amplia os horizontes. E o que mais nos interessa neste artigo: dará a sensação de mudar de emprego, mesmo estando na mesma corporação.

Dialogue

Já falamos com as empresas. Agora, o recado é para você que está com aquela vontade crescente de mudar de emprego.

Acreditamos que há dois cenários. O primeiro é quando você tem certeza de que está a sua vontade. Já o segundo, é quando existe certo incômodo de estar onde está, mas não é algo gritante.

Se você se encaixa no perfil dois, sugerimos que você tente dialogar com seus superiores antes de sair oficialmente. Se você é um colaborador, é porque as suas competências são valiosas para a empresa.

Conte o que te traz mal-estar e compartilhe as suas sugestões de quais mudanças poderiam ser feitas para resolver. A ideia de ter esta conversa pode te dar aquele frio na barriga, mas o resultado pode te surpreender

Boa sorte e depois conte para gente o desenrolar! Enquanto isso, siga o perfil da Conexa Saúde no Instagram para mais dicas.

Texto: Manoela Caldas.

Powered by Rock Convert