Tudo que envolve a psicologia humana é complexo. Afinal, estamos falando de gente, e não de números. Não somos uma ciência exata.

Portanto, esse artigo não tem como objetivo retratar fatos e verdades absolutas, e sim levantar discussões e reflexões.

O que realmente nos constrói como um ser singular, e o que apenas nos limita de evoluir? Onde fica esta linha, que é tão tênue? Continue lendo o artigo para se aprofundar neste pensamento:

Quem é você?

A personalidade pode ser explicada por diferentes vertentes da psicologia, mas o foco deste texto não é destrinchar as teorias, e sim explorar a prática.

Reflita sobre quais características você acredita que te fazem quem você é. Para alguns, pode ser uma paixão, como a arte. Para outros, suas próprias virtudes, como a visão de mundo que defende. 

Pense no que, independe das fases da vida, sempre te acompanhou. Em como você faz os outros se sentirem e a maneira em que você é referenciado por eles. A sua personalidade pode ser composta destes fatores.

Até aí, o exercício de se auto definir pode parecer simples e até poético. Portanto, chegou a hora de problematizar e confundir sua cabeça para que possamos chegar em um debate mais profundo.

Crenças limitantes

Ter consciência da sua personalidade é muito importante. Mas o perigo mora bem ao lado, quando a autopercepção se torna uma desculpa para não evoluir como pessoa.

Você com certeza já ouviu alguém falando que é atrasado e ponto final, por exemplo. Que não tem jeito, ele não consegue ser pontual e esse é o jeitinho dele.

Errado. Ser atrasado é um defeito – e cá entre nós, relativamente fácil de ser consertado. A partir do momento que você toma esta característica negativa para si como parte de quem você é, você se bloqueia para a tentativa de resolvê-la. O atraso é um padrão de comportamento, mas ele não precisa fazer parte da sua personalidade.

Isso tem nome: crenças limitantes. É essa ideia pré determinada de que você não vai conseguir agir de certa forma antes mesmo de tentar seriamente. 

A sua personalidade não é seus defeitos e nem uma caixinha fechada que não pode estar apta a mudar.

 Personalidade vs Padrões de comportamento no trabalho

Agora imagine aquela mesma pessoa falando que o atraso faz parte de sua personalidade em uma entrevista de emprego. Não é preciso falar que as chances de admissão são quase nulas.

Incentivamos que você repense padrões de comportamento pouco saudáveis para que haja uma melhora em todas as esferas da vida. Mas quando o assunto é trabalho, esta tarefa torna-se ainda mais urgente.

Mas o esforço não deve acontecer apenas por parte dos colaboradores. O mundo está mudando para melhor e passou da hora de empresas pararem de querer que os funcionários deixem as suas personalidades do lado de fora do escritório.

Uma ótima forma de expressá-la é pela moda. Confira nosso artigo de como manter o estilo mesmo com o dress code do trabalho.

A chave está no equilíbrio.

Gostou da reflexão? Siga o perfil do Conexa Saúde no Instagram para mais!

Texto: Manoela Caldas.

fale conoscoPowered by Rock Convert