Subscribe Now

Trending News

Preocupação excessiva por causa do trabalho
Saúde no Trabalho

Preocupação excessiva por causa do trabalho

Passado, presente e futuro. Trabalho, família e lazer. Erros e acertos. A sua função e a dos outros. Para algumas pessoas, tudo é motivo de preocupação excessiva. E infelizmente, o número de quem se identifica com esta realidade é crescente.

É claro que a vida é marcada por preocupações, assim como alegrias. O objetivo aqui é tratar dos casos de infringimento em demasia, a ponto de afetar a saúde mental e física de quem o sofre.

Muitos podem pensar que esta é mais uma nova questão nascida com a correria estabelecida pelo boom da tecnologia do século XXI. Entretanto, o psicólogo Ad Kerkhof, da Universidade Virje de Amsterdã, na Holanda, investiga o fenômeno há mais de 30 anos.

Para entender mais sobre a preocupação excessiva e a relação deste problema com o trabalho, continue lendo o artigo.

O que é a preocupação excessiva?

Em entrevista para a BBC, Kerkhof afirmou que a preocupação excessiva prejudica o descanso e a saúde mental. Além de causar ansiedade, poder levar à depressão, e em perfis mais graves, até ao suicídio.

“Preocupar-se é algo normal. Mas se você tem os mesmos pensamentos todos os dias e já não consegue controlá-los, então claramente está passando do limite”, afirmou o psicólogo.

Quando a causa é o trabalho

A preocupação excessiva causada por problemas familiares e outras questões da vida pessoal é categorizada de forma diferente da causada pelo trabalho. Afinal, uma coisa é sofrer porque o seu filho está doente e outra é por causa de um chefe abusivo, certo?

Tente entender o que no seu trabalho está te tirando o sono. Assim, será mais fácil analisar e propor uma mudança, caso você julgue viável. Algumas das possibilidades são:

  • Trabalho acumulado;
  • Ambiente desestimulante;
  • Pagamento atrasado ou com um valor baixo;
  • Superiores abusivos;
  • Horas extras não remuneradas.

Infelizmente, a lista pode ser longa, e esse é um grande problema para os Recursos Humanos e chefia da empresa. É preciso entender que manter seus colaboradores saudáveis faz a corporação se manter viva.

Como se curar?

Infelizmente, esta resposta jamais será simples e objetiva. A única ação recomendada para todos e que é o primeiro passo para praticar autocuidado é procurar ajuda profissional

Você pode procurar muitas dicas do que fazer para cessar a preocupação excessiva. Mas a verdade é que apenas consultas com um psicólogo serão uma ajuda legítima.

Após encontrar o profissional e iniciar os encontros, confie no tratamento e deixe o tempo agir. Mudanças internas são processos, não tenha a expectativa do imediatismo.

É como Kerkhof disse: “Preocupar-se é como um vício. Se quer acabar com isso, precisa de tempo para ensinar a si mesmo, pouco a pouco, como deixar de fazê-lo”.

Gostou de aprender mais sobre preocupação excessiva? Para sempre ficar por dentro do nosso conteúdo, curta a página da Conexa Saúde no Facebook.

Texto: Manoela Caldas.

fale conoscoPowered by Rock Convert

Posts relacionados

Deixe uma resposta

Campos obrigatórios *