O Dia Mundial da Saúde Digestiva, anualmente celebrado em 29 de maio, foi idealizado pela Organização Mundial de Gastroenterologia (WGO) com objetivo de esclarecer o público geral a respeito de temas dessa área médica. A conscientização é fundamentada pela oferta de eventos, atividades e materiais que promovam educação em saúde para um estilo de vida saudável.

A temática escolhida para o ano de 2020 é “Microbioma intestinal: uma perspectiva global”.

O que é microbioma intestinal?

O microbioma ou microbiota é um conjunto microorganismos como bactérias, vírus e fungos que habitam o trato gastrointestinal sem causar doenças. Estima-se que haja 100 trilhões de microorganismos e possam pesar 1,5Kg em um adulto. O desenvolvimento do microbioma se inicia no nascimento e é definido até os 2 anos, sofrendo influência por diversos fatores ao longo da vida.

Quais as funções?

  • Eliminar patógenos;
  • Auxiliar o desenvolvimento do sistema imunológico e renovação celular;
  • Regular a absorção de nutrientes e participar na produção de vitaminas e enzimas;
  • Metabolizar drogas para que seus componentes ativos sejam liberados;
  • Produzir substâncias químicas que interagem com os nervos e músculos da parede intestinal;
  • Comunicação com o sistema nervoso para promover seu desenvolvimento e função (o eixo da microbiota-intestino-cérebro).

Disbiose

O desequilíbrio qualitativo ou quantitativo da microbiota é chamado de disbiose. De maneira simplificada, pode-se compreender como uma diminuição de microorganismos benéficos, permitindo o aumento dos que causam danos, os patógenos. Como conseqüência, há aumento de processos inflamatórios e perda da modulação imunológica. Assim, a disbiose vem sendo apontada nos estudos como fator de influência no desenvolvimento de doenças oncológicas, reumáticas e neurológicas.

Como manter o equilíbrio da microbiota?

A alimentação é a principal determinante na composição microbiana do intestino. Uma dieta diversificada com ingestão de frutas, vegetais e fibras é positiva aos microorganismos benéficos. Por outro lado, alimentos industrializados (concentrados em sal, gordura e açúcares refinados), carnes vermelhas e material fermentável tendem ao desequilíbrio.  Outros fatores prejudiciais são o sedentarismo, estresse, abuso de laxantes e uso inadequado de antibióticos.

Fica evidente, portanto, a importância do microbioma intestinal não somente para o sistema digestivo, mas para toda complexidade do organismo, e, também, o papel dos hábitos saudáveis na sua manutenção.

O que achou do artigo de hoje sobre saúde digestiva? Fique por dentro de todas as informações que estão nas nossas redes sociais!

Texto Juliana Costa, estudante de Medicina e estagiária da Conexa Saúde

Referências

WORLD GASTROENTEROLOGY ORGANIZATION. World Digestive Health Day (WDHD). Disponível em:< https://www.worldgastroenterology.org/wgo-foundation/wdhd/wdhd-2020/message-from-the-co-chairs>. Acessado em 20 de maio de 2020.

TARKAN KARAKAN. Gut Microbiota, Diet, and Antibiotics in IBD Pathogenesis; from a Developing Country Perspective. E-WGN. 2016; 20. Disponível em:< https://www.worldgastroenterology.org/publications/e-wgn/e-wgn-expert-point-of-view-articles-collection/gut-microbiota-diet-and-antibiotics-in-ibd-pathogenesis-from-a-developing-country-perspective>. Acessado em 20 de maio de 2020.

PAIXÃO LA, CASTRO FFS. A colonização da microbiota intestinal e sua influência na saúde do hospedeiro. Universitas: Ciências da Saúde, Brasília. 2016; v. 14, n. 1, p. 85-96.

Powered by Rock Convert