Tireoide: entenda o que é e como funciona Tireoide: entenda o que é e como funciona

Tireoide: o que é e quais são as suas principais alterações?

7 minutos para ler

A tireoide é uma glândula, que acaba sendo muito associada ao ganho ou perda de peso. Por outro lado, ela tem outros pontos que devem ser observados. Afinal, qualquer alteração na tireoide pode afetar diretamente a qualidade de vida.

Sendo assim, continue a leitura e conheça a tireoide, suas principais mudanças e quando é indicado procurar acompanhamento médico. 

O que é Tireoide?

A tireoide é uma glândula pequena, que fica na parte da frente do nosso pescoço e tem cerca de 5 centímetros de diâmetro, e pesa entre 15 e 25 gramas. Sendo assim, pode ser até difícil acreditar que ela pode afetar tanto o nosso organismo.

Seu formato se parece uma borboleta e, apesar de ser pequena, a tireoide produz e regula hormônios muito importantes. Nesse sentido, os hormônios produzidos são responsáveis por controlar todo o metabolismo do corpo, ou seja, a forma que ele utiliza e desenvolve energia.

Alguns dos sistemas mais impactados pelo funcionamento da tireoide são o sistema muscular, sistema de circulação de sangue, e o cognitivo, que cuida dos nossos pensamentos. Portanto, a saúde da tireoide é fundamental para que os órgãos trabalhem bem.

Principais distúrbios 

Em geral, existem dois problemas de tireoide: o hipertireoidismo e o hipotireoidismo. O primeiro é caracterizado pelo aumento da produção de hormônios da glândula e o segundo, a diminuição deles. 

  • Hipertireoidismo: aumento da produção de hormônios. Em geral, deixa o metabolismo mais rápido.
  • Hipotireoidismo: diminuição da produção de hormônios. Nesse caso, é comum que o metabolismo fique mais lento.

Em 70% dos casos, o Hipertireoidismo acontece por causa de uma doença chamada Graves. Esse problema faz com que a tireoide aumente a produção de hormônios, e também atinge o nosso sistema de defesa, ou seja, o sistema imunológico. Em outras palavras, a doença de Graves é um problema autoimune.  

Além disso, o Hipertireoidismo também pode ser causado por um vírus. Dessa forma, ele poderia ser transmitido de pessoa para pessoa, como acontece quando existem vários casos em uma só família. Nesse sentido, o vírus gera uma infecção que pode provocar nódulos – em outras palavras, uma saliência que aparece na glândula.

Agora, o Hipotireoidismo também pode ser causado por uma doença autoimune: a Tireoide de Hashimoto. Esse problema é resultado da falta de iodo no sistema, que por consequência destrói as glândulas.

Mas, assim como no caso anterior, também existem há outros motivos que podem levar ao Hipotireoidismo. Alguns são: pós-parto; infecção por vírus; casos genéticos; uso de certos medicamentos; remoção total ou parcial da glândula ou após tratamento do hipertireoidismo. 

Principais sintomas de alterações na Tireoide

Existem diversos sintomas que podem indicar que a tireoide pode estar com algum problema. Entre eles temos:

  • Cansaço em excesso;
  • Dores musculares;
  • Intestino desregulado;
  • Palpitação no peito.

Entretanto, existem sintomas que podem ser mais sérios. Vamos falar sobre eles a seguir.

Mudanças de peso

Caso aconteçam mudanças de peso muito rápidas, seja engordando ou emagrecendo, é bom ficar atento.

No caso do hipotireoidismo, por exemplo, o metabolismo fica mais lento, e isso pode causar uma retenção de líquidos. Sendo assim, pode acontecer inchaço nos braços e pernas, no rosto, e até mesmo nas pálpebras.

Por outro lado, o hipertireoidismo, o metabolismo trabalha mais de pressa. Dessa forma, pessoas com esse problema podem emagrecer demais.

Alterações de humor 

Como a tireoide é responsável pela produção de hormônios, os problemas podem afetar o humor da pessoa.

  • Hipertireoidismo: pode deixar a pessoa mais agitada, animada e ansiosa.
  • Hipotireoidismo: pode causar desânimo, e até mesmo depressão.

Além disso, em ambos os casos podem aparecer palpitações, nervosismo e mal humor.

No intestino 

Outro sintoma que pode indicar algum problema com a tireoide é a sua rotina intestinal.

No hipertireoidismo, é comum que a pessoa vá mais vezes ao banheiro do que o comum.

Já no caso do hipotireoidismo, pode ser que o intestino acabe ficando mais preso.

Ciclo menstrual 

A tireoide influencia em diversas características do ciclo menstrual de uma pessoa. Sendo assim, quando a glândula está desregulada, podem acontecer aumentos ou diminuição do fluxo de menstruação.

Além disso, problemas na tireoide podem desregular o ciclo menstrual. Nesse sentido, a menstruação pode durar mais tempo que o normal, atrasar, ou até mesmo não acontecer por meses consecutivos.

Queda de cabelo 

A tireoide também afeta diretamente no crescimento do cabelo. Afinal, são os seus hormônios que regulam a raiz do cabelo, chamado folículo capilar. No caso do hipotireoidismo, por exemplo, os folículos capilares param o processo natural de se renovar, o que leva à queda de cabelo tanto em homens, como em mulheres.

Nesse sentido, é normal que caiam entre 50 e 100 fios de cabelo por dia. Sendo assim, caso haja o aumento dessa queda, é recomendado procurar um especialista.

Nódulos na Tireoide

Segundo especialistas, pessoas mais velhas têm maior tendência em ter nódulos em sua tireoide.

Na grande maioria das vezes, esses nódulos são benignos, ou seja, não apresentam um risco para a pessoa. Por outro lado, esse diagnóstico só pode ser feito a partir de uma avaliação médica, que pode pedir exames para descartar algum problema mais grave. Além disso, é comum que médicos peçam exames da tireoide de tempos em tempos, para acompanhar a situação.

Em geral, os nódulos são assintomáticos. No entanto, alguns casos ainda podem apresentar sintomas, como por exemplo:  

  • Dor na garganta; 
  • Inchaço do pescoço; 
  • Dificuldade para respirar ou engolir; 
  • Perda de peso sem causa aparente; 
  • Tremores e nervosismo; 
  • Rouquidão ou perda da voz. 

No entanto, caso seja um nódulo maligno, quanto mais rápido o problema é diagnosticado, maiores são as chances de que os tratamentos sejam bem-sucedidos.

Exames de nódulos na tireoide

Existem três formas de identificar um nódulo na tireoide.

Em primeiro lugar, há o exame físico, em que se apalpa o pescoço para sentir a saliência. Em segundo lugar, podem acontecer exames laboratoriais, como exame de sangue por exemplo. Por último, também pode ser realizados exames de imagem, como a ultrassonografia.

Sinais de risco para câncer 

Como dissemos, a maior parte dos casos de nódulos na tireoide são assintomáticos, ou seja, não apresentam outros sintomas. Ainda assim, é possível perceber alguns sinais que podem indicar um problema mais sério. Confira a seguir alguns deles:

  • Nódulo rígido, e que cresce rápido; 
  • Nódulo com um formato estranho; 
  • Rouquidão ou bloqueio das cordas vocais; 
  • Histórico familiar; 
  • Quem já fez radioterapia na área da cabeça e pescoço. 

Além disso, existem alguns fatores que também podem exigir um pouco de atenção. Por exemplo, pessoas que possuem um histórico familiar de problemas graves de tireoide; pessoa que já realizaram radioterapia no pescoço ou na cabeça; quem tem menos de 20 anos; quem tem mais de 60 anos. 

O que fazer? 

Sempre que sentir alguma mudança na tireoide, ou apresentar alguns sintomas que citamos, é bom procurar um endocrinologista. Essa é a especialidade médica ideal para pedir exames e fazer um diagnóstico correto.

Mas lembre-se: nem sempre os sintomas indicam um problema na glândula. Por outro lado, em caso de dúvida, é sempre melhor procurar um especialista. E, se possível, tente incluir esses testes em seus exames de rotina.

Quer saber mais informações sobre saúde? Então, siga a Conexa no Instagram, Linkedin e Facebook. Ah, e não esqueça de assinar nossa News Letter!

Posts relacionados

Deixe um comentário