A força motora que coloca qualquer máquina para funcionar é a energia.

Sem ela as engrenagens simplesmente param. E é assim também no mundo corporativo. Se os trabalhadores não estão bem isso também abala a saúde financeira da empresa. Logo, toda organização que almeja sucesso no mercado deve primeiro preocupar-se com o bem-estar de seus empregados.

Quer saber mais sobre o assunto? Então, continue a leitura e confira alguns aspectos da saúde corporativa e como ela pode influenciar a rentabilidade das corporações

Computador: herói e vilão

Um estudo publicado pelo American Journal of Preventive Medicine detectou que 60% das pessoas no mundo passam pelo menos três horas por dia na frente do computador, seja em atividades de trabalho ou lazer.

Mas sabemos que passamos bem mais do que isso, sem contar o tempo que ficamos no celular. A exposição aos aparelhos eletrônicos tem seus benefícios, mas em exagero afeta a saúde e pode levar à queda no seu nível de excelência e resultar na diminuição dos lucros da organização.

Rotina pode provocar doenças e baixo rendimento

Como consequência dessa rotina de trabalho os colaboradores estão sujeitos a uma série de doenças ocupacionais, tanto de natureza motora, como psicossocial, sendo as principais classificadas pelo Ministério da Saúde a LER/DORT, problemas nas articulações e coluna e; ansiedade, depressão, entre os transtornos mentais.

Resultado: menos mãos nas “engrenagens” da máquina e redução do seu desempenho.

Prevenção é palavra de ordem na saúde financeira da empresa

Quando o assunto é qualidade de vida do trabalhador a prevenção significa redução de custos. Por isso a gestão de saúde corporativa é uma tendência que veio para ficar nas organizações, não só no sentido da prevenção, mas também no oferecimento de assistência à saúde.

É preciso conhecer o trabalhador e observar as fases do processo de produção para identificar em quais há falhas que possam estar provocado adoecimento e afastamento dos funcionários e gerando prejuízos para a empresa.

Ambiente deve ser motivador

Um ambiente de trabalho insalubre não pode aumentar os números da organização, pois coloca a saúde dos colaboradores em risco. Nesse sentido, é indispensável investir na estrutura do espaço, na sua manutenção.

Mais: criar um ambiente propício a uma relação de trabalho saudável, promovendo o treinamento de gestores para melhor conduzirem as equipes. Ambientes hostis desestimulam os empregados e os tornam menos criativos.

Incentivos constantes

Como prioridade que é a saúde dos servidores precisa de avaliações regulares e é dever da empresa incentivar essa prática. Isso pode ser feito por meio de campanhas internas, com distribuição de folders informativos e até convênios médicos. 

Atividades esportivas individuais ou em grupo também devem ser sugeridas, pois promovem o engajamento dos funcionários.  Essas atividades podem ser patrocinadas pela empresa, que pode sugerir, inclusive, a realização de torneios internos, como forma de aproximação dos trabalhadores.

E você, o que tem feito para alcançar melhorias na saúde financeira da sua empresa? Achou nossas dicas interessantes? Então, compartilhe nossas informações nas redes sociais! Estamos no Facebook e no LinkedIn!


Texto: Luciana Cavalcante